Ligando Conceitos e Objetos

um estudo sobre modelos anatômicos

Autores

Palavras-chave:

Modelos anatômicos em cera. Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Universidade Federal do Rio de Janeiro. Mapa conceitual.

Resumo

O artigo, fruto de uma dissertação de Mestrado,  aborda um conjunto de modelos anatômicos utilizados na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, hoje pertencentes ao Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade Federal do Rio de Janeiro (ICB/UFRJ).  O conjunto, de fabricação francesa e autoria de Jules Talrich, é composto por nove peças que representam os nove meses da gestação humana. Os modelos de ensino estão descritos na publicação intitulada “Catalogo do Muzeu Anatomo-Pathológico” (1913). Para a análise dos objetos, que são abordados e tratados como documentos, foi utilizada o mapa conceitual, ferramenta criada por Joseph Novak na década de 1970 com o objetivo original de mapear o aprendizado de conceitos científicos por aprendizes, especialmente crianças. A atribuição de conceitos considerou a distinção proposta por Ingetraut Dahlberg entre conceitos gerais e individuais, e buscou contemplar aspectos relacionados ao significado, função e uso dos objetos, além de sua trajetória no tempo e no espaço, ou de sua biografia cultural, como propôs Igor Kopytoff.

Biografia do Autor

Aurea Ferreira Chagas, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Possui graduação em Conservação e Restauração pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2016). Atualmente é técnica em restauração da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Coordenadora de Acervos Culturais, atuando no Centro de Ciências da Saúde. Tem experiência na área de Preservação, com ênfase em Patrimônio de Ciência e Tecnologia, atuando principalmente nos seguintes temas: registro de acervos culturais, e extensão universitária.

Maria Lucia de Niemeyer Matheus Loureiro, Museu de Astronomia e Ciências Afins - MAST

Possui graduação em Museologia pelo Museu Histórico Nacional - atual Escola de Museologia da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (1976) -, Mestrado (1998) e Doutorado (2003) em Ciência da Informação pelo IBICT - Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia / UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro. Tem experiência nas áreas de Museologia e Ciência da Informação. Atua no Museu de Astronomia e Ciências Afins - MAST/MCTI, onde desenvolve pesquisas relacionadas a processos de musealização e é docente permanente do Mestrado Profissional em Preservação de Acervos de Ciência e Tecnologia - PPACT.

José Mauro Matheus Loureiro, Universidade Federal do Estado do Rio de janeiro - UNIRIO

Possui graduação em Museologia pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (1980), Mestrado em Ciência da Informação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1996), Doutorado em Ciência da Informação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2000) e estágio Pós-doutoral (PPGAS/UFRJ - 2004). Atualmente é professor Titular da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, consultor ad hoc do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, pesquisador colaborador - Museu de Astronomia e Ciências Afins, professor permanente da Universidade Federal da Paraíba - PPGCI/UFPB - e pesquisador colaborador do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia. Tem experiência na área de Ciência da Informação, com ênfase em Ciência da Informação, atuando principalmente nos seguintes temas: ciência da informação, memória, informação, museologia e museu.

Downloads

Publicado

2024-01-03

Edição

Seção

Premiados do ENANCIB