Linguagem simples no setor público brasileiro

uma abordagem dialógica com a competência crítica em informação

  • Ana Lúcia Alexandre Borges Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT/UFRJ)
  • Arthur Coelho Bezerra Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT/UFRJ)

Resumo

A prestação de serviços públicos no ambiente digital vem se expandindo a passos largos. No arcabouço legal que estabelece os princípios para o Governo Digital no Brasil, na esfera federal, uma das diretrizes abordadas é o uso de linguagem clara e compreensível a qualquer cidadão. Num período em que a desinformação e a circulação de notícias falsas põem vidas em risco durante a pandemia da Covid-19, a interação entre Estado e sociedade deve primar pelo provimento de informações confiáveis e de forma inteligível. Este trabalho tem como objetivo compreender o movimento de incentivo ao emprego da linguagem simples no setor público brasileiro. Daremos início a nosso percurso teórico-metodológico buscando situar brevemente a mobilização de uma rede de servidores públicos em torno do tema, para enfrentar a cultura do dito “burocratês”. Estabeleceremos ainda um diálogo entre uma abordagem crítica da linguagem simples e a competência crítica em informação. Como resultado, avaliaremos em que medida a articulação entre os dois conceitos na oferta de serviços públicos contribuiria para promover o exercício de uma cidadania digital plena e fomentar a transformação social, norteada por princípios éticos.

Publicado
2022-08-23
Seção
Premiados do ENANCIB