A INVENÃO DA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO SEGUNDO NICOLAS ROUBAKINE (Rubakin)

  • Gustavo Silva Saldanha
Palavras-chave: Nicolas Roubakine (Rubakin)., Bibliopsicologia., Epistemologia da Ciência da Informação., História da Ciência da Informação., Leitura.

Resumo

Esta pesquisa, fundamentada via uma epistemologia histórica, procura compreender os modos de invenção do campo a partir do percurso das ideias de Nicolas Roubakine (Rubakin). No plano empírico, para esta etapa dos resultados, interessa-nos compreender a problemática metodológica de Roubakine. Para tal, dedicamo-nos estritamente ao discurso sobre o método biobliopsicológico do teórico, presente no capítulo terceiro de sua obra clássica, Introduction a la Psychologie Bibliologique [Introdução à Psicologia Bibliológica], intitulado Les méthodes de la biblio-psychologie. – L’application des méthodes schientifiques générales à l’étude des phénomènes biblio-psychologiques (Os métodos da bibliopsicologia. No plano discursivo, selecionamos as seguintes categorias reflexivas para o debate, a saber: epistemologia, positivismo, metodologia, psicologia, bibliografia, documentação, neodocumentação, Ciência da Informação, fundamentação social da Ciência da Informação. Através destas categorias de fundo discursivo procuramos compreender os desdobramentos do projeto epistemológico de Roubakine a caminho da construção de uma disciplina científica que coloca em questão, a partir de seu exercício metodológico testado entre o final do século XIX e as duas primeiras décadas do século XX, demonstrando sua vanguarda na constituição do campo, dos estudos empíricos da leitura e dos leitores às possibilidades de transformação social pela via da popularização da ciência.

Publicado
2019-12-31
Seção
Artigos Científicos