Transgramáticas

Filosofia da Ciência da Informação, linguagem e realidade simbólica

  • Gustavo Silva Saldanha Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia
Palavras-chave: Transgramáticas, Linguagem, Filosofia, Ciência da Informação

Resumo

O trabalho procurou discutir a compreensão da Filosofia da Ciência da Informação a partir da noção de transgramáticas. Tendo a filosofia da linguagem como base reflexiva, a pesquisa se orientou  pelo  reconhecimento  da  Retórica  e  da  Filologia  como  saberes  fundacionais  do  campo informacional, em diálogo com o desenvolvimento da epistemologia da Bibliologia ao longo  do  século  XIX.  A  partir  do  método  da  “apresentação  panorâmica”  de  Ludwig  Wittgenstein, tomando a organização dos saberes como espaço discursivo, no qual se apresentaram,  no  tempo,  os  discursos  de  cientificidade  da  Bibliologia,  da  Bibliografia,  da  Biblioteconomia, da Documentação e da Ciência da Informação, reconheceu-­‐se o papel comum  da  crítica  da  linguagem  no  desenvolvimento  da  filosofia  geral  do  campo.  Como  conclusões, constatou-­‐se a centralidade de um imperativo mimético na Filosofia da Ciência da  Informação,  a  relevância  contemporânea  de  um  modelo  simbólico  de  apreensão  da  realidade e a permanência extemporânea de microgramáticas metadiscursivas, aqui tratadas como transgramáticas, ou seja, unidades da práxis reflexiva e aplicada do campo de estudos da informação.

Publicado
2013-01-02
Seção
Artigos Científicos