Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação http://revistas.ancib.org/index.php/tpbci <p>A revista "Tendˆências da Pesquisa Científica em Ciência da Informação - TPBCI" é um periódico cientíico da Área de Ciência da Informação. Sua gestão é realizada pela Associação Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação - ANCIB.</p> <p>A TPBCI tem por objetivo divulgar trabalhos que representam contribuição para o desenvolvimento de novos conhecimentos entre pesquisadores, docentes, discentes e profissionais da Área de Ciência da Informação.&nbsp;</p> <p>A revista exige&nbsp; que pelo menos um dos autores tenha titulação de doutor e seja associado da ANCIB.</p> Associação Nacional Pesquisa em Ciência da Informação - ANCIB pt-BR Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação 1983-5116 <p>DIREITOS DE AUTOR: O autor retém, sem retrições, os direitos sobre sua obra.</p> <p>DIREITOS DE REUTILIZAÇÃO: A TPBCI adota a Licença Creative Commons, CC BY-NC atribuição não comercial conforme a Política de Acesso Aberto ao conhecimento adotado pela ANCIB. Com essa licença é permitido acessar, baixar (download), copiar, imprimir, compartilhar, reutilizar e distribuir os artigos, desde que para uso não comercial e com a citação da fonte, conferindo os devidos créditos de autoria e menção à BIBLIONLINE. Nesses casos, nenhuma permissão é necessária por parte dos autores ou dos editores.</p> <p>DIREITOS DE DEPÓSITO DOS AUTORES/AUTOARQUIVAMENTO: Os autores são estimulados a realizarem o depósito em repositórios institucionais da versão publicada com o link do seu artigo na TPBCI.</p> POR UMA RELAÇÃO CULTURAL COM A INFORMAÇÃO http://revistas.ancib.org/index.php/tpbci/article/view/498 <p>A partir de pressupostos conceituais sobre a cultura como fenômeno antropológico e significante, além da informação como categoria sociocultural, este trabalho busca refletir a relação entre mediação cultural e mediação informacional, propondo uma ampliação da ideia de mediação trabalhada na Ciência da Informação como algo gregário da cultura, integrante da cadeia simbólica das ordenações de sentidos que regem as ações e intenções humanas. Por meio de revisão de literatura, que inclui textos antropológicos, da Comunicação, além de autores da Ciência da Informação, o artigo revisita a ideia de mediação, refletindo sobre os cotidianos diversos e incertos pelos quais a informação é gerada e apropriada pelo homem. Ao final, considera ser tarefa dos estudos mediacionais contextualizar os fenômenos sociais a fim de compreendê-los à luz de seus próprios sistemas ordenadores, promovendo abertura para novas manifestações fenomenológicas de significados que são também informacionais – fato que promove renovação ao campo da Ciência da Informação.</p> Ismael Lopes Mendonça Luiz Tadeu Feitosa Lígia Maria Moreira Dumont ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2020-12-31 2020-12-31 12 2 O SENTIDO DE BIBLIOTECA ESCOLAR PARA ESTUDANTES DA EDUCAÇÃO PÚBLICA http://revistas.ancib.org/index.php/tpbci/article/view/496 <p>Resultado de pesquisa de doutorado cuja questão central foi conhecer o sentido de biblioteca escolar expresso por estudantes concluintes do ensino médio em escolas públicas de Santa Catarina. O aporte teórico-epistemológico concilia a Fenomenologia Social de Schutz, o Construcionismo Social de Berger e Luckmann, e o Interacionismo Sócio-histórico de Elias. Como método, adota a Teoria das Representações Sociais de Moscovici. Entre dados coletados em 2016, destacam-se os discursos de 24 estudantes obtidos por meio de entrevistas gravadas, realizadas no ambiente escolar. Para o tratamento e análise desses dados adota a Técnica do Discurso do Sujeito Coletivo de Lefèvre e Lefèvre. A ideia de livro está na essência do que esse sujeito coletivo concebe por biblioteca escolar. O discurso coletivo desvela uma biblioteca escolar real e outra ideal. Com relação à biblioteca real, há denúncias de portas que se mantém fechadas, falta de livros, necessidades e interesses de leitura não atendidos, espaço insuficiente, falta de conforto, de acesso à internet, carência de profissional para administrá-la, entre outros. Esses itens são considerados essenciais para incentivar a leitura e a frequência à biblioteca. A percepção do sujeito coletivo é de abandono. Apresenta os motivos que levam esse sujeito a frequentar a biblioteca da escola e outras unidades de informação.</p> Eliane Fioravante Miriam Vieira da Cunha María del Carmen Agustín Lacruz ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2019-12-31 2019-12-31 12 2 EXECUÇÃO DA POLÍTICA DE DADOS ABERTOS NO BRASIL http://revistas.ancib.org/index.php/tpbci/article/view/495 <p>Após três anos de vigência do Decreto Nº 8.777/2016 que instituiu a política de dados abertos do poder executivo federal, ainda persistem dúvidas quanto a sua execução. Esta pesquisa apresenta um breve panorama da política de dados abertos, considerando os planos de dados abertos e os conjuntos de dados publicados entre maio de 2016 e maio de 2019, com o objetivo de identificar o cumprimento da política pelos órgãos do Governo Federal do Brasil. Para tanto foi realizada uma análise qualitativa e quantitativa utilizando as informações do Painel de Monitoramento de Dados Abertos, a fim de identificar os órgãos que possuíam plano de dados abertos juntamente com seu percentual de completude, e a métrica alternativa DGABr para avaliar os dados governamentais abertos (DGA) publicados pelos órgãos. Foram analisados conjuntos de dados dos três órgãos que tiveram o maior número de bases abertas até maio de 2019. Os resultados apontam que os DGA disponibilizados cumprem vários requisitos e obtiveram o indicador 4 na métrica DGABr. Ainda há poucas informações sobre produtos e serviços que utilizam os DGA dos órgãos, mas a disponibilização em Application Programming Interface (API) indica que os órgãos estão atentos sobre o reúso e a integração dos DGA. Conclui-se que a política de dados abertos foi implementada e sua execução iniciada em alguns órgãos. Espera-se que as avaliações dos DGA publicados e o monitoramento dos órgãos contribuam para evolução da política de dados abertos do Brasil e alertem a sociedade para importância de sua execução.</p> Patrícia Nascimento Silva Marta Macedo Kerr Pinheiro ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2019-12-31 2019-12-31 12 2 ENLACE DE OBJETOS DIGITAIS NO CONTEXTO DA PUBLICAÇÃO CIENTÍFICA AMPLIADA http://revistas.ancib.org/index.php/tpbci/article/view/494 <p>Vivenciamos, nas últimas décadas, diversas alterações no cenário científico, que trouxeram avanços no seu processo de comunicação com o advento de novos sistemas de informação e na sua forma de disseminação, privilegiando o acesso aberto e o compartilhamento de diferentes objetos gerados no contexto da pesquisa, agregando ao tradicional artigo científico novos produtos, como dados de pesquisa, slides, apresentações e vídeos. O enlace desses objetos em torno de uma única pesquisa é entendido na literatura como publicação científica ampliada, que possui diferentes modelos de dados. Nesse sentido, o presente estudo objetiva discutir como enlaçar diferentes objetos digitais no contexto da publicação científica ampliada. O estudo foi realizado a partir de pesquisa bibliográfica para embasamento teórico-conceitual e da pesquisa exploratória para compreensão do cenário abordado. Apresenta o Sistema de Informação de Pesquisa Corrente (CRIS) como infraestrutura adequada para uma ecologia informacional capaz de enlaçar os objetos e seus agentes (pessoas, instituições e agências de fomento), no contexto da publicação científica ampliada. A estruturação do ambiente para que as ligações ocorram de forma satisfatória, seja com os objetos disponibilizados no CRIS ou em qualquer outro ambiente informacional digital, requer conhecimentos de metadados, representação e arquitetura da informação, visando que a camada de dados seja adequada para a recuperação por aplicações computacionais e a interface propícia para a encontrabilidade da informação por humanos.</p> Emanuelle Torino Silvana Aparecida Borsetti Gregorio Vidotti Rachel Cristina Vesu Alves Plácida Leopoldina Ventura Amorim da Costa Santos ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2019-12-31 2019-12-31 12 2 DOS BAÚS DE ENXOVAIS ÀS PASSARELAS DA MODA http://revistas.ancib.org/index.php/tpbci/article/view/493 <p>A presente pesquisa objetiva compreender como as memórias individuais e coletivas das rendeiras de Camaláu-PB auxiliam a construção das identidades locais na construção artística da produção de rendas renascença. Tratamos de mostrar como essa produção se organiza no espaço da cooperativa e do núcleo familiar de rendeiras existente na área pesquisada. O trabalho, alicerçado na Ciência da Informação, a partir da linha de pesquisa Informação, Memória e Sociedade, renovará a densidade do olhar por meio de novos cruzamentos de interpretações sobre como vivem e resistem, como pensam e estabelecem relações próprias, ou apropriadas, as mulheres dessa região. Nesta perspectiva, tratamos de unir a abordagem etnográfica, documentando fotograficamente a rendeira na unidade de produção familiar e na cooperativa, mapeando as técnicas desenvolvidas e utilizadas. A pesquisa revisitou os espaços de vida e lembranças das rendeiras, a partir de um estudo qualitativo que reuniu técnicas interpretativas para descrever e explicar os componentes do sistema de valores que dão significados às práticas culturais da mulher rendeira. A partir das narrativas dessas mulheres, discutimos a preservação, apropriação e democratização das relações no contexto dos ambientes de informação e memória, do patrimônio cultural e da construção de identidades.</p> Geysa Flávia Câmara de Lima Carlos Xavier de Azevedo Netto ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2019-12-31 2019-12-31 12 2 BIBLIOTECONOMIA NEGRA BRASILEIRA http://revistas.ancib.org/index.php/tpbci/article/view/492 <p>Esta comunicação visa reconhecer a construção de uma Biblioteconomia Negra Brasileira a partir da historicidade, da práxis e da transformação curricular do bibliotecário no contexto das culturas africana e afro-brasileira no Brasil. Abordamos as vertentes que fazem parte da formação em Biblioteconomia relacionadas às problemáticas sociais e à consciência ético-política. No âmbito internacional, realizamos a contextualização da Black Librarianship dos Estados Unidos, movimento criado para a introdução do pensamento africano na Biblioteconomia. Por fim, trazemos o conceito de Biblioteconomia Negra brasileira e os fatos, atores, ações e pesquisas que deram origem ao movimento de introdução das culturas afro. As conclusões apontam para as distinções da formação<br>de escolas críticas de pensamento no campo, visibilizando e problematizando a formação de uma tradição brasileira de teorias e de métodos através das lutas e das resistências da sociedade negra do país.</p> Franciéle Carneiro Garcês da Silva Gustavo Silva Saldanha ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2019-12-31 2019-12-31 12 2 A PERSPECTIVA DUAL DO CONHECIMENTO EM INFORMAÇÃO À LUZ DA TEORIA DA RACIONALIDADE DE JÜRGEN HABERMAS http://revistas.ancib.org/index.php/tpbci/article/view/489 <p>Inspirando-se nas categorias habermasianas da racionalidade instrumental e da racionalidade comunicativa, este estudo objetiva entender o fenômeno do conhecimento em informação a partir das concepções conhecimento técnico-instrumental e conhecimento crítico-emancipatório. Trata-se de um estudo ensaístico que se vale das possibilidades da hermenêutica habermasiana. Apresenta, a partir de dados bibliográficos, manifestações expressivas e propulsoras dessa projeção dual do conhecimento na Ciência da Informação, notadamente, em sua esfera de conhecimento no contexto do século XXI (2001-2016). Finaliza chamando a atenção para o fato de que o fortalecimento de perspectivas e dinâmicas fundadas na racionalidade instrumental, via conhecimento técnico-instrumental, coloniza os alicerces de sobrevivência de perspectivas e possibilidades ancoradas na racionalidade comunicativa, via conhecimento crítico-emancipatório, junto aos horizontes do campo da Ciência da Informação, sobretudo, em sua esfera de conhecimento.</p> Anderson Victor Barbosa Cavalcante Edivanio Duarte de Souza Leilah Santiago Bufrem ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2019-12-31 2019-12-31 12 2 A INSERÇÃO DA BIBLIOTECONOMIA CLÍNICA EM HOSPITAIS ESCOLA E UNIVERSITÁRIO NO ESTADO DE ALAGOAS http://revistas.ancib.org/index.php/tpbci/article/view/488 <p>O presente estudo aborda a inserção da Biblioteconomia Clínica nos Hospitais Escola e Universitários no Estado de Alagoas, em 08 instituições de saúde, pública e privada. O objetivo é estudar as condições estruturais para a inserção de atividades de Biblioteconomia Clínica, e apresentar a importância do papel do bibliotecário clínico para subsidiar os trabalhos das equipes médicas. A pesquisa é a exploratória com abordagem qualitativa e os resultados esperados estão centrados nas necessidades informacionais dos profissionais das instituições de saúde, bem como contribuir para estudos futuros relacionados área de Biblioteconomia e Saúde Baseada em Evidências.</p> Zaqueu Jhônathas Santos da Silva Francisca Rosaline Leite Mota ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2019-12-31 2019-12-31 12 2 APLICAÇÃO DE METODOLOGIAS ATIVAS DE APRENDIZAGEM NA GESTÃO DO CONHECIMENTO http://revistas.ancib.org/index.php/tpbci/article/view/491 <p>As estratégias de aprendizagem oferecidas pelas metodologias ativas possuem características que se assemelham as da gestão do conhecimento, onde o a produção, o compartilhamento e a internalização do conhecimento tornam-se o foco. Busca comprovar que os parâmetros das metodologias ativas podem ser adaptados ao contexto empresarial. O objetivo da pesquisa é refletir acerca da relação entre as metodologias ativas de aprendizagem e a gestão do conhecimento, a fim de demonstrar como tais metodologias podem contribuir para o sucesso das práticas da gestão do conhecimento no ambiente organizacional das pequenas empresas. Como metodologia, utilizou-se a pesquisa bibliográfica, de natureza qualitativa e do tipo exploratória. Foi elaborado um quadro conceitual que relacionou as metodologias ativas de aprendizagem e a gestão do conhecimento, mediante diretrizes para aplicação no contexto das pequenas empresas. Conclui-se que essas organizações podem avançar em práticas eficientes e resultados eficazes se as metodologias ativas forem adaptadas e utilizadas no seu contexto empresarial, com base em uma inter-relação com a gestão do conhecimento.</p> Beatriz Rosa Pinheiro dos Santos Ieda Pelógia Martins Damian ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2019-12-31 2019-12-31 12 2 METADADOS PARA DESCRIÇÃO DE ACERVOS DE ARTE NO BRASIL http://revistas.ancib.org/index.php/tpbci/article/view/500 <div class="page" title="Page 1"> <div class="layoutArea"> <div class="column"> <p>Reflexão sobre a representação da informação de acervos de Artes Visuais de museus brasileiros tendo como referência as recomendações das normas internacionais para registro das coleções. Embora os museus nacionais afirmem utilizar algum tipo de instrumento para registro de seus acervos, verifica-se que, de modo geral, não se apoiam em procedimentos metodológicos padronizados. O objetivo deste trabalho é discutir métodos de representação informacional para obras de arte e identificar os elementos mínimos para uma estrutura de dados de modo a orientar o processo de registro dos objetos nos museus de arte visando a promover boas práticas documentárias e, assim, otimizar o acesso às informações das coleções. A metodologia adotada compreende, de um lado, o levantamento e análise dos instrumentos utilizados para o registro de acervos de uma amostra de museus brasileiros − com base no Cadastro Nacional de Museus realizado em 2010 – e, de outro, o cotejamento dos metadados propostos pelas diretrizes internacionais da Collections Trust/ SPECTRUM, do Comitê Internacional de Documentação do Conselho Internacional de Museus e do Getty Research Institute/ Categories for the Description for Works of Art, que apresentam diferenças importantes em função da granularidade das categorias de informação. O cotejamento teve como apoio as normas ISO 25964-1/2. A comparação das práticas de registro adotadas no Brasil e as propostas das diretrizes internacionais permite confirmar o estágio embrionário de desenvolvimento das primeiras e sugerir elementos básicos e essenciais para um processamento informacional desejável.</p> </div> </div> </div> Camila Aparecida da Silva Marilda Lopes Ginez de Lara ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2019-12-31 2019-12-31 12 2 PRÁTICAS INFORMACIONAIS NO FAZER CIENTÍFICO http://revistas.ancib.org/index.php/tpbci/article/view/499 <p>A produção do conhecimento científico em grupos e projetos de pesquisa é, essencialmente, colaborativa e social. Nesses espaços, sujeitos informacionais executam suas atividades e, por meio delas, propagam ou refutam práticas informacionais. Essa pesquisa objetiva investigar quais são e como se constituem as práticas informacionais na produção colaborativa do conhecimento científico no denominado Projeto Febre Amarela. De caráter qualitativo, a pesquisa adota uma postura etnográfica, valendo-se das técnicas de observação e entrevista semiestruturada em profundidade para a coleta de dados. A aproximação e imersão no ambiente empírico duraram, aproximadamente, dois anos. Foram observados e entrevistados 16 colaboradores do referido projeto, selecionados mediante convite e manifestação do desejo de participar, voluntariamente, da pesquisa. A análise de dados indica que, no referido ambiente empírico, as práticas informacionais se constituem e são articuladas, propagadas ou contestadas em interações sociais durante ações informacionais rotineiras. Embora as práticas informacionais desveladas possuam certa regularidade advinda de rotinas e hábitos inerentes ao ambiente, elas emergem de tarefas situadas, da divisão do trabalho, de soluções constituídas na ação e de negociações discursivas protagonizadas pelos integrantes do grupo de pesquisa.</p> Janicy Aparecida Pereira Rocha Claudio Paixão Anastácio de Paula ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2019-12-31 2019-12-31 12 2 PADRÕES PARA DOCUMENTAÇÃO DE RÉPLICAS DIGITAIS EM 3D http://revistas.ancib.org/index.php/tpbci/article/view/497 <p>O artigo trata de instituições interessadas em tornar mais efetivo o acesso e a recuperação de informações por meio da aplicação das tecnologias digitais em 3D bem como das tecnologias para tratamento de dados na Web. Como estudo de caso, partiu-se da proposta de digitalização em 3D de esculturas públicas do período moderno situadas em espaços públicos na cidade do Rio de Janeiro, visando a criação de um repositório envolvendo as réplicas digitais produzidas a partir dessas obras digitalizadas. As réplicas digitais nesse contexto carecem de descrição em seus aspectos originais, de mídia e de conteúdo em 3D para a obtenção da documentação desses ativos. O artigo, assim, objetiva analisar potenciais vocabulários, incluindo padrões de metadados e ontologias, a fim de serem recomendados ao processo de documentação. Metodologicamente, a pesquisa foi classificada como sendo de natureza qualitativa, de caráter exploratório, descritivo e explicativo à luz de literatura científica já publicada e material empírico específico, o que a torna bibliográfica e documental. Apresenta os resultados da análise de padrões e vocabulários para documentação de patrimônio cultural e uma discussão sobre como se alinharam à natureza de metadados discutida na pesquisa. Conclui-se mostrando que a proposta para a documentação dos ativos apoiando-se no uso de padrões de metadados e ontologias bem fundamentadas e recomendadas por comunidades e entidades normativas se mostra diferenciada e estratégica na busca de soluções inteligentes para descrição de conteúdo multimídia no domínio de patrimônio cultural.</p> Daniela Lucas da Silva Lemos Asla Medeiros e Sá Renato Rocha Souza ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2019-12-31 2019-12-31 12 2