METADADOS PARA DESCRIÇÃO DE ACERVOS DE ARTE NO BRASIL

  • Camila Aparecida da Silva USP
  • Marilda Lopes Ginez de Lara USP
Palavras-chave: Documentação em museus, Metadados, Museus de arte, Organização da informação, Representação da informação

Resumo

Reflexão sobre a representação da informação de acervos de Artes Visuais de museus brasileiros tendo como referência as recomendações das normas internacionais para registro das coleções. Embora os museus nacionais afirmem utilizar algum tipo de instrumento para registro de seus acervos, verifica-se que, de modo geral, não se apoiam em procedimentos metodológicos padronizados. O objetivo deste trabalho é discutir métodos de representação informacional para obras de arte e identificar os elementos mínimos para uma estrutura de dados de modo a orientar o processo de registro dos objetos nos museus de arte visando a promover boas práticas documentárias e, assim, otimizar o acesso às informações das coleções. A metodologia adotada compreende, de um lado, o levantamento e análise dos instrumentos utilizados para o registro de acervos de uma amostra de museus brasileiros − com base no Cadastro Nacional de Museus realizado em 2010 – e, de outro, o cotejamento dos metadados propostos pelas diretrizes internacionais da Collections Trust/ SPECTRUM, do Comitê Internacional de Documentação do Conselho Internacional de Museus e do Getty Research Institute/ Categories for the Description for Works of Art, que apresentam diferenças importantes em função da granularidade das categorias de informação. O cotejamento teve como apoio as normas ISO 25964-1/2. A comparação das práticas de registro adotadas no Brasil e as propostas das diretrizes internacionais permite confirmar o estágio embrionário de desenvolvimento das primeiras e sugerir elementos básicos e essenciais para um processamento informacional desejável.

Publicado
2019-12-31
Seção
Artigos Científicos