O SENTIDO DE BIBLIOTECA ESCOLAR PARA ESTUDANTES DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

  • Eliane Fioravante
  • Miriam Vieira da Cunha
  • María del Carmen Agustín Lacruz
Palavras-chave: Biblioteca Escolar — Significado, Fenomenologia, Discurso coletivo, Representação Social, Bibliotecas Escolares em Santa Catarina

Resumo

Resultado de pesquisa de doutorado cuja questão central foi conhecer o sentido de biblioteca escolar expresso por estudantes concluintes do ensino médio em escolas públicas de Santa Catarina. O aporte teórico-epistemológico concilia a Fenomenologia Social de Schutz, o Construcionismo Social de Berger e Luckmann, e o Interacionismo Sócio-histórico de Elias. Como método, adota a Teoria das Representações Sociais de Moscovici. Entre dados coletados em 2016, destacam-se os discursos de 24 estudantes obtidos por meio de entrevistas gravadas, realizadas no ambiente escolar. Para o tratamento e análise desses dados adota a Técnica do Discurso do Sujeito Coletivo de Lefèvre e Lefèvre. A ideia de livro está na essência do que esse sujeito coletivo concebe por biblioteca escolar. O discurso coletivo desvela uma biblioteca escolar real e outra ideal. Com relação à biblioteca real, há denúncias de portas que se mantém fechadas, falta de livros, necessidades e interesses de leitura não atendidos, espaço insuficiente, falta de conforto, de acesso à internet, carência de profissional para administrá-la, entre outros. Esses itens são considerados essenciais para incentivar a leitura e a frequência à biblioteca. A percepção do sujeito coletivo é de abandono. Apresenta os motivos que levam esse sujeito a frequentar a biblioteca da escola e outras unidades de informação.

Publicado
2019-12-31
Seção
Artigos Científicos